Oradores

Mª José Fernández-Gómez é Professora Titular da Universidade de Salamanca (USAL), Departamento de Estatística (Espanha), onde tem vindo a desempenhar as suas funções de docente e investigadora desde 1991. A sua principal área de investigação é em Análise de dados Multivariados. Mª José Fernández-Gómez fez estadias de pré-doutoramento no Departamento de Estatística Aplicada da Universidade de Reading e no Instituto de Matemática da Trinity College da Universidade de Oxford (Reino Unido). É doutorada pela Universidade de Salamanca (1995), cuja tese recebeu o Prémio Extraordinário de Doutoramento. A sua investigação tem tido foco na área da Estatística Aplicada, sendo a sua análise centrada em Dados Multivariados, provenientes de vários áreas científicas. participou em mais de 25 projetos interdisciplinares de pesquisa e desenvolvimento, assim como coordenou projetos de Inovação em Ensino da USAL. É membro do Instituto de Pesquisa IBSAL e do Grupo de Pesquisa Reconhecida PREHUSAL. A sua experiência profissional tem sido centrada no Mestrado em Análise Avançada de Dados Multivariados, no Mestrado em Análise Avançada de Dados Multivariados e Big Data e DEAs do Programa de Doutoramento em Estatística Multivariada Aplicada do Departamento de Estatística da USAL.

Joaquina Pinheiro é doutorada em Biotecnologia – Ciência e Engenharia de Alimentos pela Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa do Porto e investigadora no MARE-Politécnico de Leiria. Atualmente, o seu foco de investigação centra-se na utilização sustentável dos recursos biológicos marinhos endógenos através da caracterização, desenvolvimento e avaliação de novos produtos e processos ajustados com a Estratégia de Especialização Inteligente definida para a Economia do Mar. Ao longo do seu percurso profissional tem adquirido competências de I&D através da participação e colaboração em projetos de investigação em instituições científicas e de ensino público como o INIAV, o ISA-UL e a ESTM-PLeiria. Tem como principais áreas de interesse a otimização e avaliação do impacto de tecnologias convencionais vs. emergentes para a manutenção e extensão da qualidade de alimentos frescos, processados e minimamente processados, o desenvolvimento de alimentos com elevada bioatividade, a valorização dos compostos bioativos da biomassa remanescente do processo biotecnológico da produção de esqualeno e DHA pela microalga Aurantiochytrium sp., metodologias de extração de compostos bioativos das macroalgas e microalgas, com aplicação em alimentos com o objetivo de os enriquecer e prolongar o tempo de vida útil (ORCID: https://orcid.org/0000-0001-9319-2651).

Elsa Gonçalves é Investigadora Sénior no Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV) na Unidade de Tecnologia e Inovação (UTI). Obteve o doutoramento em Biotecnologia, com especialização em Ciência e Engenharia de Alimentos pela Universidade Católica Portuguesa. Tem trabalhado na área da Ciências e Tecnologia de Alimentos, sendo o seu foco, a aplicação e validação de tecnologias de produção de alimentos que satisfazem a procura do consumidor por alimentos saudáveis, seguros e sensorialmente apelativos. As atuais áreas de atuação podem ser descritas pelas seguintes palavras-chave: hortofrutícolas, desenvolvimento de novos produtos alimentares, aplicação de processos tradicionais e/ou processos inovadores, valorização de subprodutos, desenvolvimento de biofilmes edíveis, componentes bioativos, cinéticas de alteração, determinação do tempo de vida útil, análise sensorial, propriedades físicas. Atualmente, é responsável pelos Laboratórios de Análise Sensorial do UTI, membro do Centro de Competência da Dieta Mediterrânea e representante Nacional do CODEX no comité de métodos de análise e amostragem.

Trinidad Pérez Palacios, licenciada em Veterinária e Doutora pela Universidade de Extremadura, Espanha. Atualmente, trabalha como investigadora pós-doutoral no Instituto da Carne e dos Produtos Cárnicos, na área da Tecnologia Alimentar. Docente no mestrado de Ciência e Tecnologia da Carne. Tem mais de 60 publicações em revistas indexadas e cerca de 50 comunicações em congressos. A sua principal linha de investigação está centrada na elaboração de produtos cárnicos funcionais. Atualmente está a desenvolver um projeto com o objetivo de enriquecer os produtos cárnicos em ácidos gordos omega-3, mediante a adição de microcápsulas de óleo de pescado.

 

 

Nuno Rodrigues, licenciado em Engenharia Alimentar (ESA-IPB, Portugal, 2010), em Engenharia Agronómica (ESA-IPB, Portugal, 2016), Mestre em Qualidade e Segurança Alimentar (ESA-IPB, Portugal, 2012) e Doutor em Engenharia de Biossistemas (Universidade de Léon, Espanha, 2018). Investigador Júnior do Centro de Investigação de Montanha, Instituto Politécnico de Bragança. Professor em diferentes unidades curriculares na Escola Superior Agrária de Bragança, com colaboração em diferentes cursos de Mestrado e Doutoramento nas Universidades de Lavras, Recôncavo da Bahia (Brasil), Universidade Politécnica de Valencia (Espanha) e Universidade Nova de Lisboa, Porto e Beira Interior (Portugal) e em mais de 40 cursos de análise sensorial de azeite e de composição, qualidade e análise sensorial de azeitona de mesa em Portugal, Espanha e Brasil. É chefe do único painel de azeitona de mesa de Portugal. Desenvolve atividade na área da caracterização, qualidade e fatores que os afetam e inovação em azeites, azeitona de mesa e outros produtos do olival, sob o ponto de vista físico-químico e sensorial. Integra/integrou a equipa de diferentes projetos investigação, participou e apresentou trabalhos em diferentes congressos em Portugal e no estrangeiro e é autor de diversos artigos na área. Presta consultoria a empresas na área da extração e comercialização de azeite. Faz parte do júri de diferentes concursos de azeites em Portugal e Espanha. É Vice-Presidente, para a Olivicultura, da Associação Portuguesa de Horticultura.

Ricardo Nuno Correia Pereira, licenciou-se em 2003 em Engenharia Alimentar, Escola Superior de Biotecnologia, Universidade Católica Portuguesa. Realizou o Mestrado em Biotecnologia, com a especialização em Engenharia de Bioprocessos e doutorou-se em Engenharia Química e Biológica em 2011, ambas qualificações académicas na Universidade do Minho, em Braga, Portugal. Participou em vários projetos de investigação científica nacionais/internacionais e tem vindo a colaborar em diversas áreas da tecnologia e indústria alimentar, nomeadamente nas novas tecnologias de processamento (como por exemplo, as Tecnologias de Campos Elétricos Pulsados e Aquecimento Óhmico), nanotecnologia, microbiologia, embalagem e revestimentos edíveis). Desde o Doutoramento tem desenvolvido atividades relacionadas com a utilização de Aquecimento Óhmico e Campos Elétricos Moderados no processamento, funcionalização demoléculas e extração de compostos bioativos de alimentos. Prestou ainda serviços e ações de consultadoria para clientes do setor público e privado – escolar e profissional – nas áreas de tecnologia e segurança e qualidade alimentar. Sendo autor/ co-autor demais de 40 publicações científicas em revistas, editor de livros científicos e de vários capítulos de livros, é desde 2011 investigador de Pós-Doutoramento no Centro de Engenharia Biológica (CEB) da Universidade do Minho, ocupando neste momento a função de investigador auxiliar na área de tecnologia e inovação alimentar.

Cesar Henriques, é doutorado em Química Verde pela Universidade de Coimbra, sendo autor e co-autor de cerca de 20 artigos científicos e 30 comunicações em reuniões científicas. Durante o seu trajeto académico, para além da sua participação em associações estudantis e organização de eventos científicos, fundou ainda a EcoXperience que se dedica a valorização de resíduos para obtenção de produtos de valor acrescentado – economia circular. Atualmente é CEO da EcoXperience e o seu foco na empresa tem sido na procura de soluções mais sustentáveis tanto para o setor doméstico como para o setor profissional.

 

 

Cristina Duarte, é licenciada e mestre em Engenheira Biológica pela Universidade do Minho, Braga (2007). Aluna de doutoramento pela Universidade de Santiago de Compostela, no programa de Doutoramento em Inovação em Segurança e Tecnologia Alimentar (Abordagem sustentável para valorização e caracterização nutricional de farinhas alimentares de diferentes cultivares Brássicas e a sua aplicação em alimentos funcionais para idosos). Atualmente é bolseira de investigação no projeto NUTRIAGE (2017), cofinanciado pelo POCTEC (INTERREG V A Espanha), que visa promover soluções avançadas para um envelhecimento saudável através da Nutrição na Eurorregião Galicia norte de Portugal. Anteriormente integrou o grupo de investigação do departamento de Química e Alimentar, Laboratório de Biotecnologia, na Faculdade de Ciências de Ourense, Universidade de Vigo, participando em vários projetos de investigação com indústrias do sector agroalimentar da Galiza.

 

 

Ana Tasso Rosa, mestre em Bioquímica Alimentar pela Universidade de Aveiro, desenvolveu o seu estágio de Mestrado no departamento de R&D da empresa Mendes Gonçalves. Iniciou o seu percurso profissional na mesma empresa como responsável pelo desenvolvimento de novos produtos. Mais tarde, desenvolveu os seus conhecimentos na área de Procurement, e atualmente desempenha a função de Gestão de Novos Projetos. Diariamente contacta com diferentes parceiros do sector alimentar, acompanhando as tendências de mercado e exigências de melhoria contínua. A inovação está intrínseca, trabalhando em novos processos e produtos, novas áreas de negócio, de uma forma ágil e versátil.